• Comunicação CRMV-RN
  • 06/06/2019

CFMV alerta sociedade sobre os tratamentos caseiros para animais

Métodos não atestados pela ciência podem colocar a saúde humana e dos animais em risco.

É cada vez mais comum ver receitas caseiras sendo divulgados na internet como verdadeiros milagres para tratar as mais diversas doenças em animais. No entanto, sempre que se deparar com uma formulação dessas, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) recomenda a consulta a um médico-veterinário para evitar submeter o animal a um tratamento que pode comprometer ainda mais a saúde dele. 

O médico-veterinário e assessor técnico do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), Fernando Zacchi, afirma que qualquer tratamento clínico requer comprovação científica. “Métodos não atestados pela ciência e sem conhecimento dos efeitos colaterais e das reações adversas podem colocar a saúde de todos em risco, podendo agravar o quadro clínico do animal, bem como comprometer a saúde do homem e ainda afetar o meio ambiente”, avisa. 
 
De acordo com o assessor, os produtos de uso veterinário dependem de estudos sérios e resultados eficazes, comprovados e aprovados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. “Sempre consulte um médico-veterinário, único profissional com conhecimento técnico para identificar a enfermidade e prescrever um tratamento adequado para cada caso”, afirma Zacchi.
 
Presencial
 
E nada de consulta a distância, seja por telefone, Whatsapp, e-mail ou qualquer outro formato que não tenha contato direto do profissional com o animal. O código de ética proíbe o médico-veterinário de “receitar sem prévio exame clínico do paciente” (art. 8º, inciso XV). 
 
“E por um motivo muito simples: os animais não falam o que sentem e expressam suas queixas por meio do comportamento, o que só é possível de analisar presencialmente. A ausência de um exame físico minucioso prejudica o diagnóstico e pode induzir ao erro”, explica Zacchi.
 
Pelo código de ética, o médico-veterinário também não pode “prescrever ou administrar aos animais, drogas que sejam proibidas por lei ou que possam causar danos à saúde animal ou humana” (art. 8º, inciso XXIII).
 
“Consultar o médico-veterinário é imprescindível também para evitar super dosagens e o uso indiscriminado, evitando, inclusive, a resistência medicamentosa, como vem ocorrendo com os antibióticos, que estão tendo a eficácia reduzida justamente pela utilização descontrolada”, alerta.

Ver todos

Mês do Médico-Veterinário: entrevista com o profissional Nivaldo Costa sobre atuação com grandes animais

“A atuação do médico-veterinário de animais de grande porte foi e continua sendo de enorme importância num país de grande extensão territorial e com aptidão primária para a pecuária”.

Já está disponível no portal do Mapa o primeiro volume do Manual de Boas Práticas na Criação de Animais de Estimação - Cães e Gatos

Elaboração do documento contou com a contribuição do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV)

CRMV-RN começa a fixar adesivo em estabelecimentos fiscalizados

Documento aumenta transparência e facilita contato do público com o Regional.

Estão abertas as inscrições para a 2ª Semana do Médico Veterinário no RN

Palestras e entregas de carteiras acontecem de 23 a 27 de setembro em Natal, Caicó e Mossoró.

Dia 9 de setembro é o Dia do Médico Veterinário

Rio Grande do Norte tem 1.001 profissionais em exercício e inscritos no CRMV-RN.